Paráfrase Estrutural

Olá Juchetes tudo bem?
Paráfrase Estrutural é interpretação ou tradução em que o autor procura seguir mais o sentido do texto que a sua letra; metáfrase. Esse trabalho foi feito junto da minha "parça" e perfeccionista Verônica, (saudades de fazer "trampos" da facu contigo girl). 


Não adianta chorar pelo leite derramado.

 Em 1980, na Polônia, existia uma família de camponeses muito pobres. Eles conseguiam comprar leite apenas de três em três meses. Certo dia, Polovoska, a filha mais velha da família foi até o mercado, com o dinheiro contado para comprar o leite. Ela comprou, e ia levando ate sua casa. Porém, no caminho, tropeçou numa pedra e derrubou todo leite no rio. Chegando em casa, chorou muito, mas seu pai nunca a perdoou por aquele erro que os fez passar fome durante aquele mês.



Mata- se de estudar e serás um cadáver culto.

Era uma vez um jovem muito burro que não queria saber de estudar. Ele vivia intensamente e se divertia muito. Certo dia, vendo sua família passar necessidades em casa ele foi obrigado a começar a estudar. Dedicou-se como nunca, e se tornou um dos homens mais inteligentes do mundo. Por nunca mais ter saído de casa se divertir, o jovem entrou em depressão e morreu. Porém, morreu inteligente.


Você não pode casar uma galinha com uma raposa.

 Era uma vez uma raposa muito apaixonada por uma galinha. Certo dia, a raposa estava faminta e não havia conseguido comida. Para consolar seu amado, a galinha o deu um beijo. Assim que a raposa sentiu aquele sabor delicioso de comida a matou e a comeu.



Um urso com fome não dança.

 Certo dia, um circo que tinha muitos animais estava falindo e sem dinheiro para alimentar os animais. Sua principal atração, que era o urso dançante andava passando muito mal de tanta fome que sentia, e por isso, não dançava mais. Numa noite, ele arrebentou sua jaula e comeu cruelmente seu treinador. Depois disso, o urso voltou a dançar.


Macaco velho não põe a mão em cumbuca.

 Era uma vez um macaco muito xereto um dia ele viu uma cumbuca que cheirava muito bem e parecia ter comida boa. Com fome, logo colocou as mãos lá dentro para tentar ver o que era. Acidentalmente derrubou toda a comida no chão, e os índios ficaram tão bravos que o assaram e os comeram.



Jucha

Sonhadora, ilustradora e designer, ama miojo com nuggets, adora um bom livro de fantasia, louca pela franquia The Legend of Zelda, "Felícia" para os animalzinhos e super fã do lobo guará.