Meus pets - Tobby Regino

Olá Juchetes, tudo bem?
Pra quem frequenta esse blog, sabe muito bem que adotei uma gatinha recentemente e que além dela tenho também um cachorro vira - lata e tinha também um salsichinha que faleceu em 2015. Esses animais vivem comigo, mas o meu sogro tem uma gatinha que o adotou que antes de der a minha eu bancava a Felícia com ela. Porque eu estou escrevendo isso? Pois irei começar a fazer alguns posts sobre esses meus "petzinhos" que amo tanto, tanto que quero apertar, abraçar e beijar até disser chega!
Irei começar com meu primeiro cão e o mais chatão.

Tobby Regino da Silva Sauro Rodrigues

Tobby foi nos dado pela Cidinha, uma amiga da minha mãe e professora pedagoga do meu irmão do meio. Ele tinha uns 40 dias mais ou menos, era tão pequenino que dormia numa caixa de sapato e não conseguia nem subir a cama que ficava debaixo das outras no treliche. 

Ele tinha um temperamento difícil, era um cachorro ciumento (principalmente com a minha mãe) e teimoso. Rosnava pra você se chamasse a atenção dele. Ele nasceu no dia 25/09/1996 e era o menor de sua ninhada, por causa disso não conseguiu mamar direito, o maiorzão empurrava ele quando estava mamando. 

Tobby tinha vários apelidos, salsicha, monstinho, batman, sicha, "zoreia" radiotiva, didido, etc... Um dos seus últimos apelidos era princesa Aurora (foi por causa de um sonho doido da minha mãe). 

Em meados de 2013 a velhice começou a afeta-lo e por isso nesse ano ele fez três cirurgias. A primeira foi para tirar o olho que estava com glaucoma, depois foi para tirar um dedo da pata dianteira que estava com tumorzinho e a segunda foi pelo mesmo motivo.

Depois disso ele nunca mais foi o mesmo, não subia mais as escadas e o pior caiu algumas vezes ao tentar descer e uma dessas caídas eu e meu irmão do meio ficamos preocupado, pois ele caiu e nem se mexeu, ficou um tempinho parado, a sorte que não aconteceu nada.

E no começo de 2014 ele sofre sua primeira convulsão. Era de madrugada quando aconteceu, eu e minha mãe entramos em desespero e assustamos toda a família. Corremos com ele até um hospital veterinário 24h. Lá ele ficou internado e em observação. E ai nesse dia em diante o Tobby começou a emagrecer e perdeu a noção das coisas. 

Se enroscava em lugares, caia e não conseguia levantar e o pior de todos foi perder a noção de onde fazer as necessidades. As vezes ele fazia na caminha, para ele não sujar a nossa casa, deixávamos ele no corredor. Ele se sujava e sujava o corredor inteiro de coco. Como estava sem noção, ele fazia o coco e ficava pisoteando e dando voltas e mais voltas, ai andava um pouco para os outros cantos e dava voltas novamente. Todos os dias tínhamos que limpar a pata dele ou se tivesse muito sujo dava banho nele e lavávamos o corredor.

2015 ele começou a parar de comer, acho que os dentes não estavam mais fortes e por isso não conseguia comer ração. Eu fui por uma semana mais ou menos na veterinária para ele tomar soro, depois voltávamos para casa com ele com uma bola gelada no corpinho. Era um tipo de soro no qual ele não precisasse ficar internado, o soro era absorvido pelo corpo, por isso ficava esse negócio gelado no corpo dele.

Ele deu uma melhorada, ficou alguns meses bonzinho, até que voltou a ficar sem comer, não comia mais a ração de idoso ou seu prato favorito depois de velho, purê de batata. Então no dia 5/08/2015 a veterinária me dá uma péssima notícia, o Tobby estava com um tumor na boca, um dos piores tumores e já estava grande, não tinha mais o que fazer.... Então ela falou em sacrifica-lo, assim iria poupar mais o sofrimento dele.... e foi então que no dia 06/08/2015 que nosso Tobby Regino virou um anjinho. Ele estava tão fraco que não resistiu a anestesia, mas ele foi bem amado, minha mãe cuidou super bem dele, cuidou até o fim. 

Tobby teve esse nome por causa de uma camisola da minha mãe, que tinha dois cachorros de uma raça qualquer e tinha os nomes dele, Teddy e Tobby e o segundo nome foi eleito o favorito. Regino tem sua origem numa amiga da minha mãe, o nome dela é Sônia Regina e quando ela ia em casa, o chamava de Tobby Regino, e desde então o chamávamos assim. O restante do nome veio da nossa família, sendo o Rodrigues parte da minha mãe e o Silveira Lages de Magalhães do meu pai.





Jucha

Sonhadora, ilustradora e designer, ama miojo com nuggets, adora um bom livro de fantasia, louca pela franquia The Legend of Zelda, "Felícia" para os animalzinhos e super fã do lobo guará.